domingo, junho 19, 2005

O nosso fado...

Parecendo que não, já aí está otro verão. Reparo agora que o tempo passa verdadeiramente depressa demais e que tudo é efémero. Para quê tanta discussão, tantos problemas? Já cheguei à conclusão que a vida é demasiado rápida para pensarmos sequer em coisas que nos entristeçam, o que na realidade é impossível, o que não falta em Portugal são factos que entristeçem as pessoas, que as deixam infelizes e sem tempo para pensar nas coisas boas da vida.
Dizem que Portugal é um país triste, falam no Zé Povinho como a personagem que identifica os portugueses, uma personagem despreocupada e como é tipico deixa sempre tudo para a última da hora sem preocupações com o futuro e que apenas quer aproveitar os momentos em que bebe a bela da vinhaça. Esta personagem não apareçeu do nada, quem sabe se cada um de nós não possue um zé povinho juniór? Lá fora se perguntarmos uma palavra que se relacione com Portugal, uns dizem figo, outros eusébio e muito raramente dizem fado, fado este que reflecte o nosso triste destino nunca imaginado nos tempos dos descobrimentos. Aí sim Portugal tinha a importância merecida, mas com todos os imprevistos da nossa história a foi perdendo. Quem sabe um dia pela madrugada não apareçe D. Sebastião e em vez do zé povinho dentro de nós crescerá um sebastiãozinho?

1 Comments:

Anonymous Zmaster said...

Épah concordo contigo...é verdade...!!Eu axo é k devia de mudar de planeta...axo que era a melhor solução...!!!não há mt pra dizer... mas prontos...é a viding...!!!Tá fofo...!!!

domingo, 19 junho, 2005  

Enviar um comentário

<< Home