domingo, maio 08, 2005

O Sagrado e o Profano no Convento de S. Bento em Avis

A história de uma Vila, de uma Ordem e de uma Dinastia, juntamente com as tradições religiosas e a fé de uma população, está patente ao público no Convento de S. Bento, em Avis. Aliar o Sagrado e o Profano, num local como a Igreja do Convento de S. Bento representa o recuar nas memórias e o reviver várias épocas de uma mesma fé, de uma mesma história, de uma mesma gente. Avis é nome de vila, mas também nome de Ordem Militar e de uma Dinastia, a 2ª de Portugal.

Uma exposição de “Ordens” militar e religiosa

Esta exposição tem dois núcleos museológicos principais: um primeiro onde estão representados os aspectos relativos à importância da Ordem Militar no contexto da reconquista peninsular, passando pela sua fundação e estabelecimento em território nacional, a sua orgânica interna e os seus reflexos na organização espacial do Convento de S. Bento de Avis ao longo dos tempos, desde o período medieval até ao Barroco, passando pela obra mecenática de D. Jorge Lencastre, no renascimento, e um outro destinado às festividades, às romarias, às ermidas, à mistura das crenças com a religião que permite compreender e salvaguardar a continuidade das tradições locais e o papel desempenhado por colectividades, confrarias e associações nessas tradições ao longo dos tempos.